quarta-feira, janeiro 24

Dias lentos, que se entre laçam na pele cavando interiores,,,cavernas sem fuga

agarrei no eu, com todo o cuidado

coloquei-o de fronte
e
fitei-o…

andei por ali, ao redor, de cima para baixo
e
em sentidos contrários,

ao lado…

estava estragado…

(fundo)

e, eu, ali, a olhá-lo,,, desfocado…

( subterrâneo,,,cutâneo, defecado de mim…)

...

( defunto?)

3 comentários:

Nani disse...

já viste bem o efeito destas tuas palavras maravilha???música/cor/sabor/sentir??
muitos te leem .....e ficam sem palavras para comentar!!!!pelo menos é o que me acontece...tudo parece já dito...
beijos e continua

Maria Alfacinha disse...

Ditto :-)
Beijo grande

Menina_marota disse...

Diz a Nani:

"muitos te leem .....e ficam sem palavras para comentar!!!!"

... pois eu sou uma das que fico!

Beijo

;)

porque a tranformação não tem nome, nem hora

Primeiro, pensei, com a sinceridade do instante que era o Fim, de um olhar, de um caminho, mas ( no final) o caminho não o tem, (Como um fio...