segunda-feira, fevereiro 5

passeio no escuro a fantasia de ser o sol a brincar com aguarelas

Escondi a lua no olhar
e perdi-me no espelho,
a desenhar, (com o pólen,
fino
e colorido, das borboletas )
flores nocturnas ( cristais de prata)
numa noite sem estrelas....

2 comentários:

Betty Branco Martins disse...

Querido Almaro

...)delicados
os olhos do outono
inaudíveis
em risos nocturnos

amáveis na tristeza certa do verso
desenho das sombras
que fogem do teu olhar

caminhos que desejo
ao mar lançar
trazer os barcos
na cintura altíssima da luz

retomo a respiração
numa textura
eternamente amanhecida

melancolia exausta
ferindo as estrelas
em céus de prata

Beijo com carinho

Mikas disse...

Boa semana

porque a tranformação não tem nome, nem hora

Primeiro, pensei, com a sinceridade do instante que era o Fim, de um olhar, de um caminho, mas ( no final) o caminho não o tem, (Como um fio...