vezes há que partimos na incerteza de irmos, firmes, inteiros presos na magia de não sermos ninguém…

Não queria estar aqui, sentado a voar sem mim,
( resta-me um fio,
cousa leve,
tecido de seda, preso aos olhos do universo
)
mas estou, (aqui),
a varrer os fragmentos de pólen e das pétalas que partiram à deriva de mim…
Web Analytics by Controlia