segunda-feira, novembro 27

(in)definições do abstracto

a poesia com rima
é
uma escultura, cinzelada com a paciência do escopro que a (des)enforma, a outra , a que se escreve livre,,,com o sentir e o instante,
é
pintura,,,mancha de cores, sem forma…

2 comentários:

Nani disse...

continua a pintar e de escopro na outra mão porque de pincel numa mão e escopro na outra sai uma poesia ritmada, suave linda que é a tua
beijos

almaro disse...

nani: que grande batoteira, que eu saiba a canhota és tu. Bem sei que faço uns rabiscos com a dita canhota, mas escopro que se preze precisa de martelo em mão outra... ( estou pouco inspirado para piadas...)

porque a tranformação não tem nome, nem hora

Primeiro, pensei, com a sinceridade do instante que era o Fim, de um olhar, de um caminho, mas ( no final) o caminho não o tem, (Como um fio...