sexta-feira, novembro 24

porque não me largam,,,as perguntas?

(ah!),
escrever esta solidão que sinto,
é
labareda que se extingue,
caruma ardida,
desenho-nuvem,
pluma,
do que já fui,
(arvore?)
(perfume?)
(quimera?),
(ah!)
quem me dera,
ser gume
e
não
esta cousa informe
sem lume…
(folha,
caida
de hera?)...

7 comentários:

Menina_marota disse...

As perguntas do interior da alma...
... quem as não tem?

Beijo ;)

Nani disse...

sem pslavras.... gosto do efeito da mudança de pele!!! lindo!!!

Maria Alfacinha disse...

Porque há pessoas que atraem as perguntas...

almaro disse...

menina marota: claro querida menina, marota, não fossem as perguntas e isto seria uma pasmaceira sem o entusiasmo da descoberta…

almaro disse...

nani: desta vez baralhaste-te. estes escritos são da fase da angustia, ao ter consciência que estava em muda de pele, não uma sequência da dita muda...( se reparares todos eles são saudosos de uma criança que já não se encontra escondida, ( já era tempo , c’uns diabos,,,muitos que a dita era atrevida)). No entanto, hoje que te respondo já tenho outras duvidas e parece-me ( desconfio) , que a dita, afinal ainda por cá anda…

almaro disse...

maria alfacinha: oh se atraem, pena não atraírem o tempo? ehehehehh.

Nani disse...

ainda bem que ficou escondida..ela será sempre parte de ti por muitas mudas que faças!!!:) :)

porque a tranformação não tem nome, nem hora

Primeiro, pensei, com a sinceridade do instante que era o Fim, de um olhar, de um caminho, mas ( no final) o caminho não o tem, (Como um fio...